Maria Cursi

Maria Cursi
Release

COMUNIDADE MARIA CURSI - Bem dizia a letra de um famoso samba: “A amizade… nem mesmo a força do tempo irá destruir.…”. Foi de uma sólida amizade que surgiu um dos mais tradicionais sambas de comunidade na ativa em São Paulo, o samba da COMUNIDADE MARIA CURSI. Completando em 2014 dez anos de existência. O samba acontece todos os sábados em um lava-rápido, das 20h à 0h, na Avenida Maria Cursi 799, em São Mateus, Zona Leste de São Paulo. O público, de até 400 pessoas por noite, varia entre moradores da região e gente que se desloca de diversos pontos da cidade, bem como e outros estados e até países, como: Angola e Rússia, para apreciar a roda que valoriza o samba de raiz e de terreiro, com um repertório formado de nomes consagrados da música brasileira, há também músicas de compositores da própria comunidade, escolhidas a dedo por membros da roda de samba e, depois, repassado para todos da comunidade. Em pouco tempo, as músicas são entoadas em coro e com energia pelo público cativo, a exemplo de “O Samba é Brasil” (Tigrão), “Princípio do fim” (Edgard, Madureira), “Barriga de mãe” (Lindomar), “A Voz da Comunidade” (Reinan), entre muitas outras que compõe o primeiro álbum de estreia da comunidade, “A voz da Comunidade, que contou com as participações da Velha Guarda do Camisa Verde e Branco, Velha Guarda da Nenê de Vila Matilde, Chapinha do Samba da Vela, Wilson Sucena, Leci Brandão e Tia Cida (madrinha da Comunidade Maria Cursi) que acaba de lançar seu CD solo “Tia Cida dos Terreiros” pelo Selo Sesc.

 

O samba da Comunidade Maria Cursi surgiu a partir de uma reunião semanal de amigos, no Bar do Neguinho, tradicional ponto de encontro na região. “Quando o samba começou a ficar sério, Sentimos a necessidade de começar a nos organizar. O público começou a aumentar a cada semana e composições começaram a surgir“, explica Reinan Rocha, que, segundo ele, “foi colocado” como presidente da Comunidade. Ele afirma que o samba surgiu a partir da necessidade cultural da região e da preocupação de manterem viva a própria história, diz Rocha. Além do encontro semanal, a Comunidade Maria Cursi participa de grandes eventos como: Projeto Arte nos Terminais EMTU São Mateus em 2008, SESC Santo André em janeiro de 2010, Virada Cultural SESC Pinheiros em 2011Festa Junina Beneficente da AACD Mooca em 2012,Aniversário de São Paulo no parque Ecológico do Tiete em 2012, Projeto “É Tradição e o Samba Continua”, realizado no Memorial da América Latina em maio de 2012Virada Cultural 2013, comemoração doDia do Samba em dezembro 2013, Aniversário de São Paulo em janeiro de 2014, entre outros projetos na cidade de São Paulo. A partir de 2006 o samba também passou a ser uma ferramenta de auxílio social. Os integrantes arrecadam alimentos durante eventos organizados pela comunidade e redistribuem para entidades assistenciais da própria região. A Comunidade Maria Cursi criou seu próprio sistema de participação coletiva, fator primordial para o funcionamento dos eventos, reunindo desde as esposas dos músicos até grupos e organizações esportivas e culturais de São Mateus